O Congresso peruano anulou ontem dois decretos sobre exploração de recursos naturais cuja aprovação, no ano passado, provocou uma onda de protestos indígenas que terminou com a morte de 24 policiais e pelo menos dez nativos na cidade de Bagua, na região da Amazônia. A revogação dos decretos foi considerada uma vitória política dos grupos indígenas organizados que se opõem à construção de hidrelétricas e à exploração de reservas de gás e petróleo em terras reivindicadas como suas “propriedades ancestrais”.

No último dia 5, policiais tentaram desbloquear uma rodovia tomada por 4 mil indígenas. A ação terminou em um confronto que deixou 24 policiais e nove civis mortos, cinco deles indígenas, segundo dados oficiais.