Dois conselheiros de segurança franceses, que foram para Mogadíscio numa missão para treinar forças somalis, foram sequestrados hoje no hotel onde haviam se hospedado como jornalistas. Cerca de dez homens chegaram ao Hotel Sahafi em um pequeno carro e numa picape, armados com metralhadoras. Eles desarmaram os guardas e invadiram o hotel, disse Abdi Mohamed Ahmed, que tem uma loja de chá nas imediações.

Os homens bateram no apartamento onde os franceses estavam e os levaram quando eles abriram a porta, disse o gerente do hotel, Mohamed Hassan Gafaa. “Eles deviam ter conhecimento prévio” de onde os homens estavam, disse Gafaa à Associated Press por telefone. Os sequestradores “os jogaram dentro do carro e foram embora”, afirmou.

O Ministério de Relações Exteriores da França divulgou um comunicado informando que os homens eram consultores de segurança. “Dois conselheiros de segurança franceses que estavam em missão oficial de assistência ao governo somali foram sequestrados nesta manhã em Mogadíscio por homens armados”, disse o Ministério. Um graduado funcionário do governo somali disse que eles estavam na Somália para treinar soldados do governo. O funcionário falou em condição de anonimato. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo sequestro ou pediu resgate.