O controlador responsável pelo tráfego aéreo na região do rio Hudson, em Nova York, estava fazendo uma ligação telefônica pessoal quando um pequeno avião e um helicóptero colidiram no sábado, matando nove pessoas. Ele foi afastado de suas funções, juntamente com seu supervisor, que estava fora do prédio quando o acidente aconteceu.

Segundo a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês), o controlador deu permissão para o monomotor Piper decolar e então fez uma ligação telefônica pessoal para uma mulher, disseram fontes familiares com a investigação, sob condição de anonimato. Ainda ao telefone, o controlador transferiu o Piper para a torre de controle do aeroporto internacional Newark Liberty, que monitora o tráfego aéreo baixo sobre o rio Hudson. O controlador ainda estava ao telefone quando o acidente ocorreu. A sequência de eventos durou apenas poucos minutos.

A FAA disse que já iniciou os procedimentos disciplinares contra os dois funcionários. Investigadores do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes e da FAA descobriram a conversação ao telefone no início desta semana quando examinavam os registros de chamadas telefônicas por uma linha da torre que os controladores usam para se comunicar com outras partes do aeroporto de Teterboro.