A Coreia do Norte colocou o Exército e a população em alerta especial hoje, antes do início – previsto para amanhã – dos exercícios militares anuais dos Estados Unidos e da Coreia da Sul, e prometeu responder a qualquer provocação militar com um ataque nuclear. Em informe da mídia oficial, o comando militar supremo do governo norte-coreano classificou o exercício ao sul de sua fronteira como “uma grave ameaça” à paz e um prelúdio de uma invasão. O comando prometeu responder “à menor provocação militar” que desrespeite sua soberania com “um imediato ataque impiedoso e exterminador contra os agressores com todos os meios ofensivos e defensivos, incluindo formas de intimidação nuclear”.

A Coreia do Norte frequentemente denuncia estes exercícios que, segundo Seul e Washington, são puramente defensivos, e ameaça retaliar em caso de violação de sua soberania. Separadamente, Pyongyang autorizou a retomada dos tours ao país para os sul-coreanos, flexibilizando os controles de fronteira para turistas e empresários da Coreia do Sul e permitindo mais reuniões familiares, informou em comunicado. Segundo a Agência de Notícias Central da Coreia do Norte, o acordo foi anunciado um dia depois de uma reunião entre o líder norte-coreano Kim Jong Il e a presidente do grupo Hyundai, Hyun Jung-Eun, em Pyongyang. As informações são da Dow Jones.