O diretor do FBI, Robert Mueller, afirmou que os cortes orçamentais que afetam todas as agências norte-americanas, incluindo a polícia federal, podem ameaçar operações antiterroristas cruciais.

Falando a uma comissão da Câmara de Representantes, o diretor disse que os US$ 550 milhões em cortes – a serem conduzidos ao longo dos próximos sete meses até o final do ano fiscal – significam, entre outras coisas, deixar 2.200 vagas em aberto.

“As pessoas são os nossos recursos, elas são o FBI”, disse aos legisladores. “Sem elas, corremos o risco de um descuido nas operações em curso e em investigações, o que pode comprometer a segurança nacional.”

“Qualquer demissão representará um risco para as operações do FBI, em particular nas áreas de antiterrorismo e cibernéticas”, acrescentou Mueller. “E atualmente estamos esgotando todas as outras primeiras opções em um esforço para reduzir possíveis demissões de nossa força de trabalho” neste ano e no próximo.

O corte automático de custos, que começou no dia 1º de março, “vai doer muito”, enfatizou. As informações são da Dow Jones.