O governo regional curdo no Iraque pediu neste sábado para que o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) se retirem do território da etnia no país para prevenir que civis morram por causa da campanha de ataques aéreos realizada pela Turquia na região.

A declaração também condena o governo turco pelos ataques contra civis, após notícias de que casas de cidadãos curdos foram destruídas no norte do Iraque, e pede para que os dois lados retomem o diálogo pela paz. “Condenamos os bombardeios, que causaram o martírio dos cidadãos da região curda, e pedimos para que a Turquia não repita os ataques a civis”, acrescenta a nota divulgada. Ativistas do PKK afirmam que pelo menos oito pessoas morreram e 12 ficaram feridas com os bombardeios na cidade de Zargel neste sábado.

Nos últimos meses, o PKK se uniu aos curdos no Iraque a às milícias da etnia na Síria na luta contra o grupo extremista Estado Islâmico nos dois países. No entanto, a Turquia decidiu atacar os insurgentes no país, apesar de membros da comunidade internacional apelarem para que os ataques cessem. A agência estatal turca Anadolu informou que pelo menos 28 aviões F-16 atacaram 65 alvos do PKK no norte do Iraque, incluindo abrigos e depósitos de munição na sexta-feira. Um dia antes, 80 aeronaves atingiram 100 alvos. Fonte: Dow Jones Newswires.