Depois de todos os problemas que a tempestade Sandy causou em Nova York durante sua passagem, a cidade está sofrendo com a falta de gasolina. A situação impede que a vida dos nova-iorquinos volte ao normal, depois de uma semana difícil na costa leste dos Estados Unidos. Pelo menos 80 pessoas morreram desde segunda-feira em decorrência da passagem de Sandy por essa região dos EUA. Segundo o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, só na cidade foram registradas 38 mortes.

Brigas foram registradas em postos de gasolina e grandes filas de carros se formaram nas proximidades desses estabelecimentos em toda a região. O jornal americano “New York Times” registra que, em um posto da franquia Sunoco, a fila se espalhava por três direções, com centenas de carros engarrafados. A polícia local teve de interferir na confusão para esfriar os ânimos.

O dono de um posto em Nova York disse ao “NYT” que passou 36 horas consecutivas abastecendo carros. Ele disse que precisou chamar a polícia para que pudesse dar um descanso à bomba de gasolina. Também há notícias sobre estabelecimentos vendendo combustível acima do preço, aproveitando-se da situação. Mais da metade dos postos em Nova Jersey e em Nova York permanecem fechados. O fornecimento também foi interrompido após duas refinarias em Nova Jersey pararem de funcionar e um oleoduto que alimenta a região ter o fluxo interrompido.

A Comissão de Táxis de Nova York informou que boa parte de sua frota, muito utilizada pelos nova-iorquinos nos últimos dias, deixaria de circular por falta de combustível nesta sexta-feira. Na noite de ontem, o Porto de Nova York abriu apenas para deixar que barcos transportando combustível pudessem chegar à cidade.

O governador de Nova Jersey, Chris Christie, também relaxou as restrições que dificultam a compra de gasolina vinda de fora do Estado pelos postos locais, numa medida de emergência. De acordo com Christie, o Departamento de Defesa do país enviou 250 mil galões de gasolina e 500 mil galões de óleo diesel a Nova Jersey, mas ele prometeu pedir um suprimento maior.

Sem luz

De acordo com a BBC, 15% dos consumidores de energia elétrica do Estado de Nova York permanecem sem luz. No Estado de Nova Jersey, esse número é de 45%. Segundo a CNN, 3,3 milhões de imóveis estão sem eletricidade, em 15 Estados diferentes. 500 mil deles são da cidade de Nova York, a maioria em Manhattan. A previsão é de que algumas áreas tenham o fornecimento energético restabelecido apenas em 11 de novembro, de acordo com a companhia elétrica local.

Transporte

 

Cerca de 4.000 ônibus já voltaram às ruas de Nova York e circulam normalmente. Algumas linhas do metrô da cidade também voltaram a funcionar.

Prejuízo

Além das vidas perdidas, a tempestade trouxe um prejuízo financeiro ainda não calculado. A consultora Eqecat, uma das primeiras a fazer avaliações sobre o impacto de Sandy, atualizou o seu montante de perdas para US$ 50 bilhões.Desse valor, US$ 20 bilhões são para os bens segurados. Na semana passada, a empresa havia avaliado a destruição total em US$ 20 bilhões. O maior desastre natural dos Estados Unidos, o furacão Katrina, causou prejuízos de US$ 108 bilhões.

A Moody’s também estimou a destruição do Sandy em US$ 50 bilhões, sendo US$ 20 bilhões em bens segurados. O governo federal ainda não divulgou cálculos gerais, mas na quarta avaliou em US$ 7 bilhões os prejuízos causados apenas pela derrubada de árvores.