Uma menina de 15 anos foi detida pela polícia na França e deportada para Kosovo na semana passada, segundo ativistas de direitos humanos. A jovem Leonarda Dibrani participava de uma viagem escolar com sua professora e alguns colegas quando os oficiais a abordaram.

A ação desencadeou protestos populares e manifestações negativas dentro do Partido Socialistas contra a campanha liderada pelo ministro do Interior, Manuel Valls, contra imigração ilegal. Atualmente, o partido encontra-se no poder sob o comando do presidente François Hollande.

Valls confirmou que a estudante, que morava na cidade de Levier, foi expulsa da França juntamente com seus irmãos e pais em 8 e 9 de outubro. O ministro disse que estava aplicando a lei ao mesmo tempo em que observava “escrupulosamente” os direitos dos estrangeiros ilegais.

Outros políticos do partido acusam Valls de usar uma manobra populista. “Há a lei, mas também há valores aos quais a esquerda nunca deve abrir mão, correndo o risco de perder a sua alma”, disse o presidente da Assembleia Nacional, Claude Bartolone.

O parlamentar Jerome Guedj disse que a política de Valls minou os valores da esquerda. “Não há nenhuma razão para esconder nossa indignação”, disse o político em uma entrevista.

A briga pública destaca um dilema enfrentado pelo presidente François Hollande antes das eleições municipais e europeias do próximo ano: como manter contente sua maioria socialista no Parlamento enquanto contem um aumento do sentimento anti-imigração e a crescente popularidade do partido Frente Nacional, de extrema direita.

O malabarismo político de Hollande tornou-se mais difícil porque o seu próprio partido está longe de ser unido.

Em resposta ao que os analistas descrevem como a insatisfação movida pela crise econômica entre os franceses, Valls prometeu reprimir infração de leis por imigrantes.

Sob a sua autoridade, a polícia destruiu dezenas de acampamentos criados por pessoas de etnia roma de origem do leste europeu e por outros ciganos – incluindo cidadãos franceses. Centenas de imigrantes ilegais já foram deportados.

Valls disse que pediu uma revisão do caso de Dibrani.

Em reação à deportação da jovem, centenas de estudantes levantaram barricadas do lado de fora de suas escolas e marcharam pelas ruas de Paris em protesto. Em uma instituição secundarista da capital, os jovens empilharam latas de lixo em frente à entrada do edifício e penduraram um cartaz que dizia “Educação em Perigo”. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.