O subsecretário-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, John Holmes, iniciou uma viagem pela Faixa de Gaza para examinar a extensão do estrago causado pela ofensiva israelense de 22 dias. Holmes disse que o número de mortos era algo “extremamente chocante”. Para o subsecretário, as fronteiras de Gaza devem ser abertas para facilitar o envio de matérias de reconstrução.

Holmes disse que está pensando nas necessidades humanitárias mais urgentes e na reconstrução de longo prazo. Segundo ele, as principais necessidades são água potável, sistema de esgoto, eletricidade e abrigos.

O funcionário também pediu que Israel conduza uma investigação completa sobre bombardeios que danificaram edifícios da ONU em Gaza. A ofensiva, iniciada em 27 de dezembro e encerrada no domingo, deixou mais de 1.300 palestinos mortos. No mesmo período morreram 13 israelenses por causa da violência.

Israel e o Egito mantêm as passagens em grande parte do tempo fechadas, desde o Hamas tomar o controle de Gaza, em junho de 2007. O grupo militante islâmico quer a abertura das fronteiras como parte de qualquer cessar-fogo de longa duração.