Um grupo de detentos da prisão de Abu Ghraib, no Iraque, iniciou um incêndio e atacou guardas, disseram hoje militares norte-americanos. Os agentes pediram reforços de soldados iraquianos e helicópteros dos Estados Unidos.

A rebelião começou quando três presos puseram fogo ontem em uma cela e tentaram dominar alguns guardas, em uma aparente tentativa de fuga, segundo um porta-voz.

As autoridades pediram ajuda aos militares iraquianos a fim de sufocar o motim dentro da prisão, enquanto os helicópteros dos EUA monitoravam os arredores. As autoridades iraquianas registraram três guardas e três prisioneiros feridos, informou o porta-voz.

Já uma parlamentar iraquiana, Shatha al-Aboussi, disse que dois prisioneiros morreram na rebelião e que a violência voltou a ocorrer hoje. De acordo com ela, que é integrante do comitê de direitos humanos do Parlamento, prisioneiros conseguiram pegar um fuzil e queriam deixar o local.

Os militares dos EUA afirmaram que não receberam hoje novo pedido de ajuda. A prisão de Abu Ghraib ficou famosa em 2004 em razão da divulgação de fotos nas quais soldados norte-americanos abusavam de prisioneiros. Agora, está de novo sob controle iraquiano. Onze soldados dos EUA foram condenados por delitos cometidos na prisão.