Forças indianas e supostos militantes islamitas se enfrentaram neste domingo (11) em dois incidentes separados, na região da Caxemira controlada pela Índia. Dez pessoas morreram, incluindo quatro civis, um deles era um fotógrafo, segundo o Exército.

Dois soldados e quatro homens armados também morreram. Seis rebeldes combateram durante horas as forças oficiais escondidos em uma casa, segundo o porta-voz do Exército indiano, coronel S. Goswami.

No primeiro caso, soldados enfrentaram um grupo de homens armados aparentemente infiltrados na região a partir da área controlada pelo Paquistão, segundo Goswami. Os militantes estavam na vila de Kehli Mandi, 350 quilômetros ao sul da principal cidade da Caxemira indiana, Srinagar. Segundo o porta-voz, os militantes realizaram os disparos que mataram dois civis e feriram outros dois. Dois soldados, dois militantes, o repórter fotográfico Ashok Sodhi foram mortos. Mais tarde, outro civil morreu.

Sodhi, de 45 anos, trabalhava para o jornal inglês Daily Excelsior. Ele é o sexto jornalista morto na região desde 1989.

No segundo confronto, dois rebeldes enfrentaram o Exército e a polícia na região florestal de Darsun, 120 quilômetros ao norte de Srinagar, segundo Vijay Kumar, delegado de polícia da área. Segundo Kumar, nenhum dos membros das forças oficiais morreram nesse duelo. Os insurgentes morreram, segundo a versão oficial. Os rebeldes não haviam se pronunciado sobre os incidentes.

Mais de 68 mil pessoas, a maioria civis, morreram no conflito. Duas das três guerras entre a Índia e o Paquistão foram pelo controle da região da Caxemira.