O embaixador da Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA), Jorge Valero, acusou neste sábado (3) o governo dos Estados Unidos de ter tentado "sabotar" a resolução de apoio ao governo e à unidade da Bolívia, às vésperas do referendo autonômico de Santa Cruz.

"Quero denunciar a atitude da delegação dos Estados Unidos, que em primeiro lugar tentou impedir a resolução, alegando que o que queria era uma declaração, e depois tentou de forma frustrada tirar a substancialidade da proposta apresentada pelo governo boliviano e que havia sido aprovada por todos os países latino-americanos e caribenhos", afirmou o diplomata ao canal de TV estatal VTV.

Após nove horas de sessão, o Conselho Permanente da OEA aprovou uma resolução que pede pela integridade territorial boliviana e expressa sua solidariedade ao governo constitucional de Evo Morales, um dia antes do primeiro embate interno na Bolívia, quando o departamento (estado) de Santa Cruz realiza um referendo sobre o estatuto autonômico da região.

No início da sessão da OEA, os países da Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), que agrupa a América do Sul e México, apresentaram uma moção de apoio à posição do governo de Evo Morales, enquanto Estados Unidos, Canadá e países do Caribe se opuseram ao governo, o que obrigou o Conselho a entrar em uma nova reunião que se estendeu por várias horas.

Fontes diplomáticas disseram à ANSA, logo após a sessão, que durante as negociações "Canadá e os países do Caribe cederam rapidamente, enquanto os Estados Unidos se mantiveram firme em sua pretensão para que não saísse uma resolução escrita, até que finalmente aceitaram a opinião da maioria".