Um homem realizou disparos na rua onde está instalada a sede do banco Société Générale, em Paris, nesta segunda-feira, informou a agência Reuters. Ninguém ficou ferido. Pouco depois, um homem armado entrou num carro nas proximidades do banco e forçou o motorista a deixá-lo na avenida Champs-Élysées, região central da capital francesa, disse o motorista à polícia.

O incidente aconteceu cerca de 1 hora e meia depois da invasão da sede do jornal Libération, também em Paris, por um homem armado com uma espingarda, que deixou um fotógrafo gravemente ferido. De acordo com a polícia, aparentemente os dois ataques armados foram realizados pelo mesmo homem.

Uma fonte policial disse à Reuters que há semelhanças nas descrições dos atiradores feitas por testemunhas e que os cartuchos encontrados após os disparos são parecidos.

O Libération informou que a vítima, de 27 anos, sofreu ferimentos no peito e no braço e está em estado grave. Fabrice Rousselot, editor do diário, afirmou que testemunhas do episódio disseram que o homem, que tem cabelos curso e estaria na faixa dos 40 anos, não disse nada durante o breve período em que esteve no local, na manhã desta segunda-feira. “Ele entrou, fez dois disparos, e saiu”, disse Rousselot.

A polícia também comparava imagens de circuitos de segurança gravadas nesta segunda-feira com outras, feitas na sexta-feira, quando um homem armado ameaçou jornalistas na sede da emissora de televisão BFM-TV e fugiu em seguida.

O ministro do Interior Manuel Valls esteve na sede do Libération e declarou que “enquanto esta pessoa estiver à solta e não soubermos o que a levou a isso, temos uma ameaça”. “Precisamos ser rápidos”. Como medida preventiva, policiais foram enviados para intensificar a segurança de empresas de comunicação na capital francesa.