O júri federal dos Estados Unidos condenou Dzhokhar Tsarnaev, de 21 anos, pelo bombardeio na Maratona de Boston em 2013, no qual matou três pessoas e feriu mais de 260. Ele foi considerado culpado em acusações que incluíam conspiração e uso de arma de destruição em massa.

Agora, o júri irá decidir, em uma segunda etapa, se ele será condenado à pena de morte ou à prisão perpétua.

A condenação de Tsarnaev era esperada, uma vez que seu advogado, Judy Clarke, fez uma confissão surpreendente de que ele teria participado do bombardeio, mas seu advogado, em uma tentativa de livrar o estudante da pena de morte, argumentou que seu irmão mais velho, Tamerlan, foi quem planejou o ataque e pediu para que Tsarnaev, que estava com 19 anos na época, o ajudasse. Tamerlan, de 26 anos, morreu ao ser baleado pela polícia.

“Se não fosse por Tamerlan, isso não teria acontecido”, disse Clarke ao júri durante os argumentos finais.

A promotoria retratou os irmãos, que se mudaram da Rússia para os Estados Unidos há mais de 10 anos, como parceiros plenos em um plano em retaliação contra os Estados Unidos pelos conflitos nos países muçulmanos.

Livros jihadistas, palestras e vídeos foram encontrados nos computadores dos irmãos, embora a defesa argumentou que Tamerlan teria baixado os materiais e enviado a seu irmão. Fonte: Associated Press