O economista francês e membro do conselho geral do Banco da França Bernard Maris é uma das pessoas que morreu no ataque à redação da revista satírica Charlie Hebdo ocorrido hoje, informou o banco central do país. Maris contribuía para a revista escrevendo uma coluna chamada “Oncle Bernard”, na qual ele buscava explicar assuntos econômicos.

“Esse foi um ato covarde e bárbaro contra a liberdade de expressão e àqueles que a defendem”, afirmou o presidente do Banco da França, Christian Noyer. “Bernard Maris era um homem de coração, de cultura e de tolerância. Vamos sentir falta dele”, acrescentou.

Um keynesiano ferrenho, Maris foi nomeado para o conselho geral pelo banco central em 2011 e continuou escrevendo para jornais acadêmicos e para sua coluna no Charlie Hebdo, além de outras publicações. Ele também tinha um programa de rádio. Fonte: Dow Jones Newswires.