Pelo menos quatro pessoas morreram na repressão das forças de segurança do Egito a um protesto pela restauração de Mohammed Morsi, o primeiro presidente democraticamente eleito da milenar história do país. A informação foi fornecida por um funcionário do Ministério da Saúde do Egito.

Segundo Khaled el-Khatib, do Ministério da Saúde, as quatro mortes ocorreram no Cairo. Ainda segundo ele, 40 pessoas ficaram feridas em choques ocorridos em outras partes do país.

No Cairo, a polícia egípcia usou bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes e cercou a praça Tahrir enquanto milhares de pessoas se reuniam para manifestar apoio Morsi, o presidente deposto em um golpe militar no início de julho.

As forças de segurança isolaram a praça com tanques e arame farpado, desviando trânsito no local, no momento em que os manifestantes marchavam procedentes de diversos distritos da cidade. Os partidários de Morsi tinham como objetivo protestar na praça. Fontes: Dow Jones Newswires e Associated Press.