A junta militar que governa o Egito ordenou o envio de soldados a Port Said, onde mais cedo nesta quarta-feira, durante confrontos entre as torcidas de dois times de futebol, do Al Masry e do Al Ahly, pelo menos 74 pessoas foram mortas e 248 ficaram feridas no estádio da cidade. O Ministério do Interior do Egito confirmou os números de mortos e feridos e afirmou que 47 pessoas foram detidas por causa da violência. A televisão estatal do Egito apelou à população que doe sangue aos feridos, que estão nos hospitais de Port Said.

Os choques entre as torcidas organizadas do Egito, conhecidas como ultras, não devem ser ligados aos tumultos políticos e sectários que atingem o país desde o começo do ano passado, mas a violência desta quarta-feira levanta dúvidas sobre a capacidade da polícia local em controlar multidões enfurecidas. A violência de hoje começou quando torcedores do Al Masry, de Port Said, invadiram o campo logo após o time da casa vencer o Al Ahly, do Cairo, por 3 a 1, em uma rara vitória contra o adversário pelo Campeonato Egípcio. A competição foi suspensa.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.