A mídia estatal da China informou, nesta quarta-feira, que os 25 trabalhadores chineses tomados como reféns no Egito por um grupo armado já foram libertados. Segundo a agência “Xinhua News”, um funcionário da Embaixada chinesa no Egito informou que os trabalhadores foram soltos pelos seus sequestradores e estavam em boas condições de saúde.

Os chineses haviam sido capturados na terça-feira por um grupo de beduínos armados em uma fábrica de cimento no centro da Península do Sinai, no Egito. Os sequestradores exigiam a libertação de cinco presos condenados por atentados cometidos na localidade turística de Taba em 2004. O atentado foi reivindicado por um grupo islâmico. As informações são da Dow Jones.