A embaixada dos Estados Unidos em Bagdá (capital do Iraque), que já é a maior do mundo, deve dobrar seu número de funcionários depois que as forças norte-americanas deixarem o país no final deste ano, disse hoje o embaixador James Jeffrey. “Nós vamos dobrar de tamanho se todos os nossos planos forem aprovados e se recebermos o dinheiro do Congresso em 2011 e em 2012”.

Ele disse que o número de funcionários vai aumentar “de 8 mil, mais o pessoal que temos agora, para quase o dobro disso até 2012”, acrescentando que as forças norte-americanas representarão apenas uma pequena parte desse número. “Esta será uma embaixada extraordinariamente grande, com muitas funções diferentes. Algumas nós tomamos das forças norte-americanas no Iraque e outras são a continuação do trabalho que estamos fazendo agora”.

Jeffrey disse que os conselheiros e treinadores militares norte-americanos permanecerão ou serão transferidos para auxiliar o exército iraquiano com equipamentos fabricados nos Estados Unidos, como tanques M1A1 e outros armamentos. Segundo ele, os novos funcionários não incluem tropas de combate.

Menos de 50 mil soldados norte-americanos estão atualmente no Iraque, mas eles já chegaram a ser mais de 170 mil. Jeffrey e o tenente-general Lloyd Austin, comandante das forças militares norte-americanas no Iraque, disseram a integrantes do Comitê de Serviços Armados do Senado em fevereiro que a embaixada será bem protegida após a retirada das tropas.

Jeffrey disse aos legisladores norte-americanos que 5.500 seguranças privados vão proteger a maior representação diplomática dos Estados Unidos no Iraque. Ele e Austin disseram estar confiantes de que a força é adequada e que o Iraque vai continuar estável depois da partida das tropas norte-americanas.

Eles disseram que em 2012 a presença norte-americana no Iraque será formada por até 20 mil civis em locais que incluem duas embaixadas, dois consulados e três centros de treinamento policial. Os números incluem seguranças privados armados, funcionários de apoio e diplomatas. Atualmente, 2.700 seguranças contratados estão no Iraque, disse Jeffrey aos senadores. As informações são da Dow Jones.