O embaixador norte-americano em Tegucigalpa, Hugo Llorens, negou hoje que os Estados Unidos tenham participado do golpe militar que retirou do poder em Honduras o presidente Manuel Zelaya meses antes da conclusão do mandato de quatro anos para o qual foi eleito. “Com todo o respeito, os Estados Unidos nada tiveram a ver com o golpe. Isto é um absurdo”, disse o diplomata.

As declarações de Llorens à emissora de rádio HRN são uma resposta a comentários recentes de Zelaya. Ontem, no aniversário de um ano do golpe, ele acusou Washington de envolvimento direto no complô. Ele enviou uma mensagem da República Dominicana, onde se refugiou com um salvo-conduto outorgado quando o presidente Porfirio Lobo assumiu o poder, em janeiro.

Para o ex-presidente (2006-09), os autores intelectuais do golpe “obedecem a uma associação ilícita dos velhos falcões de Washington com hondurenhos, proprietários de capitais e sócios de subsidiárias norte-americanas e agências financeiras”.