A Comissão de Privacidade da Bélgica criticou duramente o Facebook, dizendo que a rede social trata os dados pessoais de seus usuários “com desprezo” e que a empresa não havia cooperado com reguladores investigando seus controles de privacidade.

Em suas recomendações preliminares divulgadas hoje, o presidente do órgão, Willem Debeuckelaere, advertiu que é preciso que o Facebook passe a respeitar as vidas privadas dos usuários da internet. Segundo ele, a maneira como a empresa é “desdenhosa” com as vidas privadas de seus membros e de todos os usuários da internet “exige uma ação”.

As recomendações são baseadas em um relatório acadêmico comissionado pelo regulador belga que identificou uma série de problemas potenciais para a privacidade. Os pesquisadores concluíram, por exemplo, que o Facebook estava seguindo pessoas que não haviam solicitado o serviço. A empresa disse que isso era uma falha que estava sendo corrigida.

A companhia diz que apenas precisa dar satisfação a seu regulador na Irlanda, onde sua sede europeia está. Uma porta-voz da empresa afirmou, porém, que as recomendações serão revisadas, quando forem enviadas através do regulador irlandês.

O Facebook enfrenta uma série de investigações sobre sua práticas de privacidade na França, Alemanha, Itália e em outros países. Elas podem levar a determinações formais pela mudança nas práticas de negócios, e possivelmente a multas que podem chegar a milhões de euros.

O órgão belga disse que o Facebook processa os dados pessoais de seus usuários e de outros usuários da internet “em segredo”, sem pedir permissão ou fornecer informações suficientes sobre suas atividades. Fonte: Dow Jones Newswires.