O Equador manifestou nesta sexta-feira (23) apoio incondicional proposta brasileira de criação de um Conselho Sul-Americano de Defesa. Na avaliação do presidente equatoriano Rafael Correa, seria uma forma de obrigar os países da região a cumprirem as norma de direito internacional. "Acredito que necessitamos de um conselho de segurança regional para sairmos da retórica prática Não nos enganemos, para manter a estabilidade na região, o respeito mútuo, não bastam só as palavras, o compromisso", afirmou.

"Necessitamos uma ação conjunta, harmônica, e uma força de coerção concreta, para que todos os países da região sempre se comprometam a cumprir com o direito internacional", acrescentou, numa menção ao ataque promovido pelo exército colombiano a um acampamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território do Equador, em marco deste ano.

"É uma iniciativa [Conselho Sul-Americano de Defesa] do Brasil que me parece muito pertinente. O Equador apóia incondicionalmente essa iniciativa", frisou.

Correa disse não saber da resistência da Colômbia ao conselho, mas afirmou que a proposta de integração deve caminhar em todas as instâncias, inclusive quanto ao conselho.

"Creio que temos que começar com decisão. Aqueles que em realidade estamos apaixonados pela integração, todas as iniciativas integracionistas, entre elas o Conselho de Defesa. Mais tarde, podem se integrar os países que talvez tenham mais reticências. Mas não podemos ir a ritmo mais lento e sim no ritmo dos que realmente estão comprometidos com a integração", afirmou.