O governo da Espanha anunciou hoje a expulsão do embaixador da Líbia em Madri, por considerar que o regime de Muamar Kadafi perdeu toda a legitimidade “pela contínua repressão que vem exercendo sobre sua população”.

A Espanha comunicou oficialmente ao embaixador líbio, Ali Abdussalam Treki, que ele tem dez dias para abandonar o país, informou a chancelaria em breve comunicado. Além disso, o governo expulsou outros três funcionários da embaixada líbia, não identificados, dizendo que eles “realizavam atividades incompatíveis com seu status diplomático”.

A Espanha é um dos países que participa da operação militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Líbia. A ministra das Relações Exteriores espanhola, Trinidad Jiménez, reuniu-se com rebeldes líbios em Benghazi no último dia 8.

Após o encontro, Trinidad garantiu que o Conselho Nacional de Transição é o “representante legítimo do povo líbio” e defendeu que a única solução para o conflito passa pela saída de Kadafi do poder. As informações são da Associated Press.