Ativistas afirmam que o grupo extremista Estados Islâmico destruiu um templo histórico em Palmyra, na Síria.

A notícia de que militantes do grupo explodiram o templo Baal-Shamin veio após a

decapitação do sábio de Palmyra Khaled al-Asaad, na terça-feira, que teve seu corpo pendurado em uma parte da cidade.

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, o templo teria sido destruído um mês atrás. Já o ativista Osama Turquia al-Khatib disse que o templo foi destruído hoje. Ambas as fontes têm por base informações de pessoas que estão em Palmyra. A explosão que destruiu o templo também teria danificado algumas colunas famosas da região. Fonte: Associated Press