O grupo extremista Estado Islâmico liberou mais de 200 reféns da minoria yazidi no Iraque, após mantê-los em cativeiro por oito meses.

Segundo o general Hiwa Abdullah, um comandante peshmerga da cidade de Kirkuk, a maior parte dos 216 reféns chegou em mau estado de saúde, e apresentavam sinais de abuso e negligenciamento. Cerca de 40 crianças estavam entre os libertos.

Nenhuma razão foi dada para a soltura dos prisioneiros, que foram capturados no norte do país, há cerca de 290 quilômetros de Kirkuk.

“Estamos muito feliz agora”, disse Mahmoud Haji, um dos liberados. “Estávamos preocupados porque pensávamos que eles nos iriam levar para a Síria.” Fonte: Associated Press.