O governo dos Estados Unidos pediu nesta quinta-feira (16) à China que use sua influência junto ao presidente do Sudão, Omar Bashir, para acabar com a crescente onda de violência que atinge o país e ameaça dificultar a declaração oficial de independência do Sudão do Sul, prevista para 9 de julho.

Bashir vai visitar Pequim – que tem grandes investimentos no país africano – ainda este mês. O Sudão é o terceiro maior parceiro comercial da China na África. Pequim já foi alvo de críticas no passado por ignorar a violência no Sudão. As informações são da Associated Press.