Integrantes do grupo separatista basco ETA treinaram cerca de 100 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) na Venezuela, segundo a edição de hoje do jornal El País.

Segundo o diário, combatentes do ETA deram lições de técnicas avançadas com explosivos em pelo menos seis campos venezuelanos entre 2003 e 2008.

O El País disse que a informação é proveniente de declarações de quatro ex-integrantes das Farc feitas à polícia espanhola em Bogotá em outubro do ano passado.

Já o jornal ABC, de Madri, citou relatos de policiais espanhóis que afirmam que o ETA e as Farc entraram em contato pela primeira vez em Cuba em 1993 e montaram dois acampamentos de treinamento em 2003.

Integrantes do ETA aprenderam como fabricar e usar granadas e mísseis terra-ar, enquanto os combatentes das Farc receberam instruções sobre técnicas de guerrilha urbana, particularmente como usar telefones celulares como detonadores remotos para bombas, informou o ABC.

Na segunda-feira da semana passada, um juiz espanhol afirmou que o ETA e as Farc fizeram um complô para matar políticos colombianos na Espanha, dente eles o presidente Alvaro Uribe, com a “cooperação governamental” da Venezuela.

A medida elevou as tensões entre Madri e Caracas e fez com que os dois governos emitissem um comunicado conjunto enfatizando suas ligações no combate ao terrorismo.