O Pentágono acusou oficialmente pela primeira vez o governo chinês e seu Exército de conduzir ataques cibernéticos contra os Estados Unidos, de acordo com um relatório do Departamento de Defesa. Segundo o órgão, as ações chinesas incluem esforços para roubar informações de agências federais norte-americanas.

O documento do Pentágono, divulgado na segunda-feira, disse que “em 2012, numerosos sistemas de computadores ao redor do mundo, incluindo os de propriedade do governo dos EUA, continuaram a ser alvos de intrusões, alguns dos quais parecem ser atribuíveis diretamente ao governo chinês e seu Exército”.

O Pentágono disse que a China está usando as suas habilidades cibernéticas para coletar informações contra programas diplomáticos, econômicos e de defesa dos EUA. E o relatório advertiu que os conhecimentos de informática necessários para tal espionagem é semelhante aos que são necessários para conduzir um guerra cibernética.

Contudo, a China negou as acusações dos EUA e disse que ambas as partes devem cooperar contra a ameaça global da criminalidade cibernética.

Um pesquisador do Exército de Libertação do Povo descreveu as acusações presentes no último relatório do Pentágono sobre o poderio militar chinês como irresponsável e prejudicial à mútua confiança entre os países. Segundo a agência Xinhua, o coronel Wang Xinjun afirmou que o governo chinês e as forças armadas nunca sancionaram ataques cibernéticos. As informações são da Associated Press.