Um dia após o governo dos Estados Unidos acusar a Síria de matar milhares de detidos em uma prisão militar, o Departamento do Tesouro americano congelou ativos de cinco sírios e cinco companhias sírias na jurisdição dos EUA. Entre os atingidos pela sanção, estão primos do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

Além de congelar ativos, a administração de Trump também proibiu americanos de realizar transações financeiras com os sírios afetados pela determinação. As famílias de Ihab Makhluf e Iyad Makhluf, os primos de Assad, controlam a instituição de caridade al-Bustan e o banco islâmico Cham.

Segundo o órgão americano, a medida é uma reação a repetidos ataques a civis. Na segunda-feira, os EUA acusaram a Síria de manter um crematório próximo a uma prisão militar para queimar restos mortais e ocultar a escala da matança de detidos. Fonte: Associated Press.