O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos afirmou em comunicado nesta sexta-feira que o país buscará garantir que suas transações com a Venezuela sejam realizadas com o governo de Juan Guaidó. Presidente da Assembleia Nacional, Guaidó se autoproclamou na quarta-feira presidente interino do país, em desafio ao regime de Nicolás Maduro.

Os EUA e vários países da região reconheceram a medida tomada por Guaidó. China, Rússia e Turquia mantiveram o apoio a Maduro.

O Tesouro americano, comandado pelo secretário Steven Mnuchin, disse que trabalha para colocar as reservas de petróleo e as transações que envolvem a commodity sob a guarda do governo de Guaidó.

O próprio líder oposicionista venezuelano disse nesta sexta-feira que pretende consolidar seu governo, acenando com anistia para chavistas, mas exigindo a saída de Maduro do poder. O próprio Maduro, contudo, discursou rechaçando a alternativa e dizendo que segue no posto. Fonte: Dow Jones Newswires.