A embaixada norte-americana em Roma divulgou uma nota nesta terça-feira em que diz que os Estados Unidos estão dispostos a ajudar as vítimas do terremoto que atingiu a região de Abruzzo, centro da Itália, na madrugada de segunda-feira.

No comunicado, a diplomacia norte-americana também confirmou que o presidente Barack Obama telefonou ao premier Silvio Berlusconi para “manifestar suas profundas condolências” pelas vítimas do tremor, que atingiu 5,8 graus na escala Richter e causou 207 mortes, segundo números revelados nesta terça-feira pelo próprio Berlusconi. “O presidente Obama assegurou ao premier Berlusconi que os Estados Unidos estão prontos para ajudar o povo italiano neste momento de necessidade”, diz o texto.

Segundo a embaixada norte-americana, Obama se “solidarizou às pessoas feridas e ressaltou a proximidade do povo norte-americano ao italiano neste trágico momento, em particular em relação às famílias que perderam seus parentes, suas casas e o trabalho”.

Mais cedo, Berlusconi revelou que durante a conversa telefônica com Obama sugeriu ao presidente que ajudasse a Itália a restaurar o patrimônio histórico da região de Abruzzo que foi danificado ou destruído pelo terremoto.

Também nesta terça, conforme havia sido anunciado ontem, a encarregada de Finanças da embaixada norte-americana na Itália, Elizabeth Dibble, autorizou a liberação de um pacote de US$ 50 mil para ajudar as vítimas. Os fundos ficarão a cargo da Cruz Vermelha italiana e serão usados na compra de itens de primeira necessidade. Além dos 207 mortos, há ainda mais de mil feridos, sendo 100 em estado grave.