Protestos liderados por milhares de jovens espalham-se pelas praças da Europa, escancarando o mal-estar político e social que vive o continente. O movimento, que recebeu o nome de “Indignados”, nasceu no domingo na Espanha, em manifestações contra os políticos às vésperas das eleições municipais do fim de semana. Ontem, a onda de protestos ganhou cidades italianas e, hoje, marchas já estão programadas em cidades como Berlim, Paris, Roma, Viena, Bruxelas e outras 70 localidades espanholas.

Em todas as manifestações, o recado da população é o mesmo. A rejeição à classe política, seja de esquerda ou direita, e a demanda por reformas políticas imediatas diante do desmoronamento do estado de bem-estar social. O continente europeu pena para sair da crise, acumula dívidas e já foi obrigado a resgatar três países diante da ameaça de uma quebra: Portugal, Irlanda e Grécia.

Ontem, depois de quatro dias nas ruas, o movimento fechou um manifesto com suas reivindicações – entre elas, a luta contra a corrupção. O grupo quer transparência no financiamento de campanhas e a impossibilidade de políticos com processos judiciais se candidatarem. Na prática, isso significaria a impugnação de mais de cem candidatos para as eleições de domingo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.