Advogados da viúva do ex-agente da KGB Alexander Litvinenko acusaram o governo da Rússia de estar por trás de sua morte -radicado no Reino Unido desde 2000, Litvinenko morreu envenenado em 2006, após beber um chá misturado com a substância radioativa polônio-210.

Segundo o advogado Ben Emmerson, Litvinenko trabalhou por muitos anos para o MI6, serviço de inteligência britânico, que teria pedido a ele colaboração com agentes espanhóis para investigar as atividades da máfia russa.

As acusações foram feitas em audiência que precede a investigação judicial da morte do ex-agente, marcada para maio. A Rússia nega envolvimento, e o Ministério do Interior britânico disse que não pode confirmar nem desmentir a informação sobre o MI6.