O ex-congressista Luis Eladio Pérez, que foi refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) durante sete anos, disse nesta quinta-feira (29) que a dirigente política Ingrid Betancourt tem sim condições de ser presidente do país.

 Segundo Pérez, Betancourt, que foi seqüestrada pela guerrilha em 23 de fevereiro de 2002, tornou-se sua grande amiga no cativeiro. Ele foi libertado no dia 27 de fevereiro deste ano pelas Farc e disse que, no tempo em que esteve com a franco-colombiana, percebeu o quanto "é uma mulher capaz, muito estudada, muito inteligente, com uma imensa maturidade e com uma luz para o futuro. É uma mulher presidenciável".

"No futuro, ela terá um papel fundamental na política colombiana", declarou Pérez, que está lançando o livro "Sete anos seqüestrado pelas Farc". Pérez disse ainda que, "em minha vida, em meu coração, Ingrid Betancourt é uma mulher muito especial, é uma mulher que salvou a minha vida várias vezes, que me deu carinho, compaixão, e me ajudou permanentemente no cativeiro. Eu obviamente retribuía". O ex-senador negou que tenha havido algo além da amizade.

Ele também pediu ao novo chefe das Farc, Alfonso Cano, que liberte todos os seqüestrados como medida de obtenção de "reconhecimento político".