Militares bolivianos tomaram o controle de cerca de 20 áreas de exploração de ouro e desalojaram os garimpeiros, muitos deles brasileiros, que exploravam ilegalmente as minas em uma região do oriente da Bolívia, disseram as autoridades.

O governo afirma que foi uma operação para recuperar a soberania em regiões fronteiriças, onde existe “venda ilegal de terras e de madeira, tráfico de armas, contrabando, exploração ilegal de ouro e narcotráfico”, disse hoje o diretor da Agência para o Desenvolvimento das Macro regiões, Juan Ramón Quintana.

Ele afirmou que o exército deslocou 2 mil soldados para a região ontem e que 41 pessoas foram detidas. Dessas, pelo menos 30 são brasileiros que exploram ouro nos rios na região fronteiriça com o Brasil, no departamento (Estado) de Santa Cruz.

Há um mês, o governo boliviano conduziu uma operação nos rios da região amazônica do país, na fronteira com o Peru, onde também existem garimpos clandestinos. José Padilla, funcionário do governo de Santa Cruz, disse que os garimpeiros exploravam ouro sem ter a concessão e a licença ambiental, além de não pagarem impostos. As autoridades não informaram imediatamente se os detidos serão processados.