Homens-bomba do Taleban mataram pelo 18 afegãos neste sábado, enquanto o novo secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, realizava sua primeira visita a Cabul para discutir o fim da mais longa guerra da América no exterior.

Pelo menos nove civis foram mortos no primeiro ataque, realizado na porta de entrada do Ministério da Defesa, em Cabul. O homem-bomba se aproximou em uma bicicleta, disseram testemunhas, e detonou um dispositivo explosivo no meio de civis afegãos que formavam um fila para checagem de segurança em uma rua movimentada.

O porta-voz do Ministério da Defesa do Afeganistão Dawlat Waziri afirmou que nove civis afegãos foram mortos na explosão deste sábado em Cabul, e 14 pessoas ficaram feridas, incluindo dois funcionários do órgão. Ja um funcionário do hospital militar afirmou que 10 pessoas morreram e 17 ficaram feridas no ataque. Segundo ele, entre os mortos estava um criança.

Em um ataque separado na província de Khost minutos mais tarde, um homem-bomba matou um policial afegão que tentou detê-lo, e oito civis, a maioria crianças, afirmou o chefe de segurança da província, o coronel da polícia Mohammed Yakoub. A agência de notícias afegã Pajhwok disse que um comboio conjunto de tropas dos EUA e da polícia afegã estava passando pela área e era o alvo original do atacante.

Hagel não estava no Ministério de Defesa afegão quando o ataque em Cabul ocorreu, e ele manteve o programa da visita, viajando para um base norte-americana do lado de fora da cidade mais tarde. O secretário,um veterano da Guerra do Vietnã, minimizou o ataque, afirmando que “eu já estive na guerra. Então, não devo ficar surpreso quando uma bomba explode.”

O taleban, que assumiu a responsabilidade pela explosão em Cabul, disse que a bomba, carregada por um homem chamado Mohammed Kandahari, foi “uma mensagem” para Hagel.

Em Jalalabad, Hagel expressou condolências as vítimas das explosões e suas famílias e disse que os ataques não impedirão que os EUA prossigam com seus planos de transição.

O porta-voz do Taleban Zabihullah Mujahid negou em um comunicado que civis tenham sido mortos nos atentados. Segundo ele, nenhum civil tem permissão de se aproximar do portão do ministério. “O inimigo quer nos acusar de provocar mortes de civis porque eles desejam tornar nossos ataques sem valor e nos difamar”, acrescentou.

Na verdade, a porta do ministério fica em uma estrada principal no centro de Cabul. As pessoas que faziam fila na porta pela manhã eram no geral visitantes civis do ministério, como empreiteiros, parentes de militares ou pessoas que precisam obter a papelada oficial.

Hagel chegou a Cabul na sexta-feira para sua primeira visita ao Afeganistão desde que foi empossado como secretário de Defesa dos EUA. A visita é também a primeira dele ao país desde o verão de 2008, quando acompanhou o então senador Barack Obama em uma delegação do Congresso. As informações são da Associated Press.