Funcionários do Tribunal Penal para a ex-Iugoslávia, das Nações Unidas, em Haia, dizem que não sabem quando o ex-líder servo-bósnio Radovan Karadzic será transferido para a detenção na Holanda, ou quando o seu julgamento começará. Karadzic não pode ser transferido a Haia até que uma corte de Belgrado analise a apelação que ele deverá impetrar contra a extradição.

“Eu não posso especular porque nós ainda esperamos que as autoridades de Belgrado nos informem,” disse hoje a porta-voz do procurador do tribunal, Olga Kavran, sobre a chegada de Karadzic. O ex-líder enfrenta 11 acusações, incluída a de genocídio, por supostamente ter comandado as atrocidades na Guerra da Bósnia, incluídos o massacre de Srebrenica e o cerco a Sarajevo.