Um corte de energia em um prédio público egípcio tirou do ar por cerca de 50 minutos a maioria dos canais estatais na noite de sábado. “É uma questão de segurança nacional. É extremamente perigosa essa

situação”, disse Amr Shennawi, um veterano âncora de um canal de notícias.

O ministro de Energia do Egito, Mohammed Shaker, que estava a caminho de Arábia Saudita na ocasião, imediatamente retornou ao Cairo para acompanhar o assunto, informou a mídia estatal.

O Presidente Abdel Fattah el-Sissi se reuniu com Shaker e vários outros ministros neste domingo, e salientou a necessidade de tomar medidas para evitar colapsos como este no futuro, disse a porta-voz presidencial Alaa Youssef, em um comunicado.

O primeiro-ministro Ibrahim Mahlab ordenou uma investigação sobre as causas do corte de energia. A mídia estatal informou que geradores de segurança no edifício estatal, que normalmente operam automaticamente em caso de falta de energia, tiveram falha de funcionamento.

O Egito, o país mais populoso do mundo árabe, enfrenta uma escassez crônica de energia que está causando apagões, e afetando dezenas de milhões de pessoas.

Shennawi disse cortes de energia podem acontecer “o tempo todo”, mas normalmente o sistema de energia de segurança funciona bem.

Pouco depois que os canais estatais voltaram ao ar, Essam Amir, chefe da Televisão egípcia e da Radio Union, disse repetidamente que não havia sinais de sabotagem.