A família da candidata de extrema-direita na França, Marine Le Pen, está sob investigação de autoridades do fisco por ter supostamente declarado um valor menor pelos seus bens imobiliários, informa o jornal Le Monde.

Segundo a reportagem, a presidente da Frente Nacional, que disputa as primeiras colocações nas pesquisas de intenção de voto, é alvo de duas investigações que podem conduzir à reavaliação de seus bens da ordem de 60%, efetivamente sujeitando-a ao imposto sobre fortuna do país.

Uma das investigações recai sobre um imóvel de 5 mil metros quadrados em Montretout, na região metropolitana de Paris, no qual Marine teria 12,5% de participação, seu pai, Jean Marie Le Pen, 75%, e sua irmã Yann o restante. As autoridades estimam que ele vale o dobro dos 2,5 milhões de euros estipulados quando da declaração ao fisco.

A segunda enquete investiga o valor de um imóvel também nas cercanias da capital francesa na qual a candidata detém a maior parcela da propriedade.

Marine e seu pai devem participar de uma reunião de conciliação com as autoridades do fisco até 31 de março. Segundo o Le Monde, “a candidata não se oporia à ideia, uma vez que deseja evitar a abertura de uma nova queixa e um novo escândalo” a seis semanas da eleição presidencial. (Marcelo Osakabe)