O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) informou nesta quinta-feira (23) que recebeu de oito a dez reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), retidas quando militantes do grupo transitavam em uma embarcação pelo rio Atrato, departamento (estado) de Chocó, noroeste do país.

“A operação foi possível graças à interlocução oficial e discreta das partes envolvidas, e por meio de uma ação humanitária, neutra e independente da CICV”, disse o comitê em um comunicado emitido hoje, em que explicou que “a libertação foi realizada” por “pedido” das próprias Farc.

O seqüestro das pessoas, entre funcionários, estudantes, professores e comerciantes de Quibdó, capital de Choco, aconteceu há uma semana, quando estavam em uma embarcação no rio Atrato.

Inicialmente, o grupo guerrilheiro deixou seis pessoas em liberdade e levou outras dez, o que provocou uma mobilização de tropas à zona para pressionar o seu resgate, segundo a versão do Exército.

A Cruz Vermelha reiterou no comunicado “a sua disponibilidade para apoiar a busca de mecanismos para obter a libertação de outros reféns, assim como a dos demais detidos em poder dos grupos armados”.