O candidato conservador à presidência da França, François Fillon, foi formalmente colocado sob investigação das autoridades francesas pela suspeita de uso indevido de dinheiro público, entre outras acusações, informou hoje o jornal L’Express.

Fillon, que até pouco tempo liderava as pesquisas de intenção de voto para a eleição de abril no país, foi ouvido esta manhã pelas autoridades a respeito da denúncia de que sua esposa e filhos teriam trabalhado durante anos em empregos fictícios em seu gabinete. A informação foi confirmada ao diário francês por um integrante do Judiciário.

Além de peculato, Fillon é acusado de ocultação e cumplicidade de peculato, ocultação e cumplicidade do abuso de bens sociais e por não ter cumprido com todas as obrigações na declaração feita à Alta Autoridade Para a Transparência da Vida Pública. Apenas a acusação de tráfico de influência não foi mantida. (Marcelo Osakabe)