Pela primeira vez desde a fuga e a queda de Muamar Kadafi, confrontos entre forças do novo governo líbio e homens ligados ao coronel ocorreram no coração da capital líbia. Gritando “Deus é Grande”, combatentes contrários a Kadafi se reuniram no distrito de Hay Nasr, com caminhonetes equipadas com armas. Eles estabeleceram postos de verificação e isolaram a área enquanto o som de vários disparos era ouvido pelas ruas. Também ocorreram combates entre forças do novo governo líbio e partidários de Kadafi nas cidades de Sirta e Bani Walid.

Combatentes que estavam no centro de Tripoli disseram que os tiros começaram depois que um grupo de homens armados tentou hastear a bandeira verde que simboliza o regime de Kadafi. Há relatos conflitantes sobre como o tiroteio começou.

Assem al-Bashir, combatente da Brigada Águia, disse que as forças do novo governo suspeitaram que havia francoatiradores nos prédios próximos depois de avistar um homem que tentava hastear a bandeira verde.

Outro combatente, Ahmad al-Warsly, da Brigada Zintan, disse que vários partidários de Kadafi aparentemente planejavam realizar um protesto e que fizeram disparos. Eles fugiram e foram perseguidos por forças revolucionárias, o que deu início aos confrontos.

Al-Warsly disse que um homem carregando uma arma foi capturado e identificado como um suspeito procurado pelo assassinato de manifestantes na cidade de Zawiya, que fica nas proximidades.

“Parecia que era organizado”, disse ele. “Eles estavam planejando fazer uma grande manifestação, então o confronto começou.”

Em Sirta, cidade natal de Kadafi, tropas do novo governo atacaram dois bairros dominados por partidários de Kadafi com foguetes e metralhadoras, mas também sofreram pesadas baixas. O novo governo líbio insiste que a queda de Sirta é iminente, mas as forças leais a Kadafi mantém uma resistência cerrada. Até a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), disse nesta sexta-feira que a resistência das tropas de Kadafi em Sirta é “surpreendente”.

As informações são da Associated Press.