As tropas do Iraque avançaram cautelosamente para os bairros da cidade de Mossul nesta sexta-feira, enfrentando uma dura resistência de militantes islâmicos, um dia depois de terem paralisado os ataques devido à visibilidade fraca, disseram autoridades.

Os ataques aéreos, disparos automáticos e artilharia foram ouvidos desde o amanhecer e foi informado que um soldado morreu nos confrontos. Civis, alguns deles feridos, podiam ser vistos

fugindo da guerra.

De acordo com as autoridades, as forças iraquianas pretendem assumir o controle do bairro Tahrir e de lá seguir para o bairro Muharabeen. Os oficiais falaram sob condição de anonimato porque não estavam autorizados a falar com a mídia.

Forças iraquianas lançaram a tão aguardada operação para retomar Mossul há um mês, mas têm avançado somente em alguns distritos orientais. As tropas enfrentaram forte resistência, com atiradores de elite, morteiros e bombardeiros suicidas do Estado Islâmico com veículos lotados com explosivos.

Na quinta-feira, o céu nublado sobre a segunda maior cidade do Iraque obscureceu a visibilidade dos drones e dos aviões de guerra em que as tropas dependem, dificultando seu avanço. Em vez disso, forças especiais asseguraram áreas que haviam apreendido, montaram pontos de controle e retiraram os explosivos.

A pausa também fez com que os moradores ficassem sem comida em áreas liberadas. Mossul é o último grande obstáculo para os militantes no Iraque. Expulsar os militantes seria um duro golpe para o Estado Islâmico. O grupo reivindicou hoje a responsabilidade por um ataque na noite anterior em que um carro-bomba suicida atingiu um casamento perto da cidade ocidental de Faluja,

matando pelo menos 10 pessoas e ferindo 32.

O casamento estava cheio de combatentes tribais sunitas aliados do governo que também faz parte da campanha para livrar o país do Estado Islâmico, disse o Ministério do Interior. Fonte: Dow Jones Newswires.