O gabinete do presidente da França, Nicolas Sarkozy, recuou da declaração que o presidente havia feito horas antes, de que estava “deliciado com a aceitação, por Israel e pela Autoridade Nacional palestina, do plano de trégua franco-egípcio”. De acordo com um funcionário do gabinete, a declaração de Sarkozy foi apenas uma reação aos comentários positivos feitos pelo governo de Israel sobre o plano, acertado na terça-feira (6) por Sarkozy e pelo presidente do Egito, general Hosni Mubarak, durante uma reunião no Cairo.

Em Jerusalém, Mark Regev, porta-voz do primeiro-ministro israelense, Ehud Barak, disse que “Israel agradece aos presidentes do Egito e da França por seus esforços para avançar a solução para encerrar a atividade terrorista a partir de Gaza e para deter o contrabando de armas do Egito para Gaza”. Um alto funcionário do Ministério da Defesa de Israel disse que um alto assessor do ministro Ehud Barak irá para o Cairo amanhã para discutir o plano franco-egípcio. “Amos Gilad vai para o Cairo para discutir os detalhes da proposta egípcia. Pelo que Mubarak disse na terça, os arranjos para a segurança na fronteira parecem bons, mas Israel, neste estágio, não está pronto a falar sobre a abertura da fronteira”, disse o funcionário.

O plano franco-egípcio prevê “um cessar-fogo imediato por um período específico”, para permitir a entrada de ajuda humanitária no território palestino de Gaza, um convite para que Israel e a Autoridade Palestina enviem representantes ao Egito para conversações sobre a segurança nas fronteiras de Gaza e a suspensão do bloqueio israelense, e a oferta de mediação do Egito para conversações de reconciliação entre as diferentes facções palestinas.

Em Beirute, um alto dirigente do movimento palestino Hamas, que governa Gaza desde que foi eleito, em 2006, disse à rede árabe de televisão Al Jazeera que “o movimento está discutindo sua posição em relação à iniciativa egípcia, mantendo em mente que existem, em princípio, várias reservas a fazer sobre essa iniciativa”. As informações são da Dow Jones.