Uma mulher que afirmou ser vigiada pela polícia francesa e que sua vida está sob ameaça jogou um saco de farinha contra o candidato socialista à presidência francesa, François Hollande, na tarde desta quarta-feira. A mulher – que mais tarde se identificou como Claire Seguin, de 45 anos, aos repórteres da televisão – subiu até o palco onde Hollande discursava a favor de um “contrato social” para oferecer moradias para todos.

Hollande, que lidera as pesquisas de intenção de voto com expressiva vantagem sobre o segundo colocado, o presidente Nicolas Sarkozy, permaneceu calmo durante o incidente, embora seus cabelos, óculos e terno tenham ficado cobertos de branco. Impassível, quando deixou o palco ele discutiu com a imprensa seus projetos para o setor de moradia e habitação. Os guarda-costas imobilizaram Seguin e a conduziram para fora do recinto. A polícia francesa confirmou mais tarde que ela usou um quilo de farinha de trigo para fazer o ataque e está detida. Enquanto era arrastada para fora, Seguin conseguiu falar rapidamente com a imprensa, dizendo que era vítima de uma injustiça e que os socialistas querem matá-la. Ele disse para a imprensa procurar mais informações em seu blog.

No blog, que inclui uma carta aberta ao presidente francês Nicolas Sarkozy (rival de Hollande), Seguin se descreve como perseguida por seus superiores no trabalho quando foi uma professora e afirma que é vítima de uma conspiração para difamá-la, que sua privacidade foi violada e sua vida ameaçada.

Najat Vallaud-Belkacem, a porta-voz de Hollande, disse que o incidente foi isolado e parece ter sido provocado por uma mulher mentalmente instável. Ela disse que a segurança de Hollande será reforçada até as eleições presidenciais de abril.

As informações são da Associated Press.