Cinco funcionários do governo de Porto Rico, acusados de envolvimento em um esquema de corrupção, terão de pagar US$ 3 milhões por fraude em obra na capital San Juan, de acordo com o secretário de Justiça, Cesar Miranda.

Um casal dono de uma empresa envolvida no esquema também será cobrado na operação que durou dois anos.

Os suspeitos são acusados de ignorar o processo de licitação e de falsificar documentos nos contratos da obra de revitalização do Capitólio Beira-Mar, em San Juan. Segundo Miranda, um dos funcionários chegou a cobrar três vezes pelo mesmo serviço.

Parte do dinheiro das obras veio do Banco de Desenvolvimento do Governo de Porto Rico, que viu sua liquidez encolher em meio a uma crise econômica. Fonte: Associated Press.