A passagem do furacão Alex pelo México provocou a morte de seis pessoas no Estado de Nuevo León, no norte do país. O diretor estadual da Defesa Civil, Jorge Camacho, informou nesta sexta-feira que as vítimas morreram nas imediações da capital estadual, Monterrey, uma das localidades mais afetadas pelas chuvas do Alex, que obrigaram milhares de pessoas a deixar suas casas.

Camacho disse que as seis pessoas morreram em incidentes distintos. Monterrey, 900 quilômetros ao norte da capital mexicana, é a terceira maior cidade do país. Nuevo León e o vizinho Tamaulipas foram os Estados mais afetados pelo fenômeno, que arrancou telhados e causou inundações consideráveis.

Alex, o primeiro furacão da temporada no Atlântico deste ano, chegou ao solo na quarta-feira, em Tamaulipas. Ele se debilitou na quinta-feira para uma tormenta tropical e apenas umas horas depois se dissipou, enquanto avançava rumo ao oeste, sobre Nuevo León.

A Comissão Nacional da Águas informou ontem que a chuva acumulada pelo Alex, na cidade de Monterrey, superou em quase o dobro a registrada em 1988, pelo furacão Gilbert, considerado o que mais havia afetado essa área. O Gilbert gerou 280 milímetros de chuva em 24 horas, enquanto o Alex gerou 446,5 milímetros. O chefe da Defesa Civil de Nuevo León, porém, lembrou que Gilbert causou 282 mortes.