O furacão Dean atingiu nesta terça-feira (21) a costa caribenha do México com ventos de 270 quilômetros por hora. O Dean chega ao país como um furacão de categoria 5, a mais mortífera e devastadora de todas. A área atingida pelo Dean abriga ruínas históricas de antigas comunidades maias. Segundo meteorologistas, a previsão é de que o furacão siga agora pelo Golfo do México, provavelmente atingindo modernas instalações petrolíferas.

O olho do furacão atingiu o México nas proximidades de Majahual, um porto popular entre cruzeiros turísticos, a cerca de 65 quilômetros de Chetumal e da fronteira com Belize, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos. O Dean movia-se pela Península de Yucatán a uma velocidade de 32 quilômetros por hora na direção oeste-noroeste às 5h locais desta terça-feira (6h em Brasília).

A previsão é de que o furacão retorne ao mar nesta terça-feira à noite, entrando pela Baía de Campeche, onde a companhia petrolífera estatal mexicana optou por fechar suas plataformas.

O furacão já provocou a morte de pelo menos 12 pessoas durante sua passagem pelo Caribe. O fenômeno ganhou força depois de passar próximo da Jamaica e das Ilhas Cayman entre o domingo e a segunda-feira, transformando-se num furacão de categoria 5.

Furacões de categoria 5 – capazes de provocar danos catastróficos – são extremamente raros. Desde 1935, apenas três tempestades dessa magnitude atingiram os Estados Unidos.