Pelo menos 10 mil pessoas podem ter morrido em uma só cidade das Filipinas, após uma das piores tempestades já registradas no país provocar ondas que inundaram casas, escolas e prédios do aeroportos, afirmaram autoridades neste domingo.

Ventos muito fortes foram registrados em várias ilhas centrais, soterrando as pessoas sob toneladas de detritos e deixando cadáveres pendurados em árvores.

O tufão atingiu a costa leste do arquipélago filipino na sexta-feira e se dirigiu em alta velocidade por seis ilhas centrais e no leste, antes de ir para o Mar do Sul da China, com ventos de 235 quilômetros por hora e rajadas de 275 quilômetros por hora.

Na Ilha Leyte, o chefe da polícia regional, Elmer Soria, disse que foi informado pelo governador Dominic Petilla que há cerca de 10 mil mortos somente em Tacloban, capital da província, principalmente devido a afogamentos e desabamento de prédios. O número foi baseado em relatos de autoridades locais.

O Haiyan causou sérios estragos em pelo menos seis das mais de 7 mil ilhas do arquipélago. Leyte, Samar e a parte norte de Cebu parecem ter sido as mais atingidas. Segundo a agência nacional de desastres, cerca de 4 milhões de pessoas foram afetadas pela tempestade.

Em Samar, 300 mortes foram confirmadas em um vilarejo e outras 2 mil pessoas estavam desaparecidas. Leo Dacaynos, do escritório de desastres da província de Samar, disse que a região precisava de água e alimentos, e acrescentou que não havia energia elétrica ou sinal para fazer ligações de celulares, e que a comunicação só era possível via rádio.

Imagens de Guiuan, a primeira área atingida pelo tufão, mostram um rastro de devastação, com muitas casas desabadas, estradas cobertas por destroços e árvores arrancadas do solo. O vídeo da rede ABS-CBN mostra vários corpos na rua.

A Cruz Vermelha filipina disse que a assistência às vítimas foi prejudicada por saqueadores, que atacaram caminhões de mantimentos que seriam enviados a Tacloban. Os dois maiores shoppings de Tacloban e supermercados também foram saqueados. Cerca de 200 policiais foram enviados à cidade para manter a lei e a ordem.

Por causa dos saques, o presidente Benigno Aquino III disse que estava considerando declarar estado de emergência ou lei marcial em Tacloban. Aquino sobrevoou de helicóptero uma área próxima a Leyte e pousou em Tacloban. Ele disse que a prioridade do governo é restabelecer a energia elétrica e as comunicações em áreas isoladas e oferecer assistência às vítimas.

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, ordenou o Comando do Pacífico a enviar navios e aviões para auxiliar nas operações de busca e resgate e transportar suprimentos de emergência.

Até agora, o pior desastre natural a atingir as Filipinas tinha sido um terremoto de magnitude 7,9, em 1976, que deixou 5.791 mortos. Fonte: Associated Press.