O ex-ministro de Defesa do Afeganistão, general Abdul Rahim Wardak, entrou neste sábado na corrida presidencial, juntando-se a um grupo cada vez mais fragmentado de candidatos para as eleições que marcarão a primeira transferência democrática do poder no país.

Faltando apenas um dia para o registro da candidatura, pelo menos outros três prováveis adversários – o irmão do atual presidente afegão, Qayyum Harzai, o ministro de Relações Exteriores, Zalmai Rassoul, e o ex-conselheiro de transição, Ashraf Ghani – devem entrar na disputa.

Segundo colocado na votação de 2009, o ex-ministro de Relações Exteriores, Abdullah Abdullah, e Abdul Rasoul Sayyaf, que trouxe figuras importantes da Al-Qaeda ao Afeganistão nos anos 1980 e 1990, já se registraram para as eleições de abril de 2014.

Contrastando com os seguidores exclusivamente masculinos e armados de Sayyaf, o general Wardak apareceu hoje com um número relativamente grande de mulheres entre os partidários. “Nossa prioridade é proteger os direitos humanos, os direitos das mulheres, apoiar a democracia, prestar serviços e aplicar a lei”, disse o ex-ministro de Defesa em discurso aos seguidores. Fonte: Associated Press.